Livraria Cultura

Pré Venda Harry Potter

03/07/2012

Santo Antônio – Mais de 75 anos de tradição!



Sabe aquele local em que você se sente em casa? Aquele restaurante que dá vontade de ir sempre? Então, felizmente em Porto Alegre nós temos um desses, o Santo Antônio. O local está aberto desde 1935 e segundo conta a história, desde então só vem crescendo em qualidade.

Já fomos ao Santo Antônio algumas vezes, e na última fomos utilizar um cupom de compra coletiva e resolvemos registrar nossa ida. E é isso que vamos mostrar pra vocês agora.

A casa é ampla e conta com vários ambientes, mas normalmente ficamos neste:


Uma dica interessante para quem tem crianças (o que felizmente não é o meu caso... hehe), é que a casa dispõe de um ambiente em separado para recreação. Os pais, ou seja lá quem estiver com a gurizada, pode deixá-los se divertindo enquanto jantam calmamente e sem interrupção.

Ok, vocês vão dizer que sou insensível. Mas deixem-me contar a situação que já presenciei por 2 vezes no Dado Bier (e olha que o Bier tem local pras crianças também!) e que me deixou mais que feliz por não ser mãe. Um beijo pras todas as mães por serem as guerreiras que são! Mas onde eu estava mesmo? Ah sim, vou contar o ocorrido. Eis que estávamos nós, esses cinéfilos-blogueiros-famintos-de-plantão jantando no Bier numa noite bem agradável, e perto da nossa mesa senta um casal com uma criança no carrinho e mais duas pela mão, que em instantes já estavam se esgueirando por debaixo da mesa e deixando a mãe em pânico. Elas (as crianças) corriam por tudo e nada que a mãe queria dar pra comer contentava. E suco derrama, e garçom seca a mesa. E vem outro prato, e isso eu não quero comer. E é claro, a comida da mãe esfriando. Enfim, fecha momento Luciana dizendo o que pensa.

Mas então, a Santo Antônio tem esse local para as crianças brincarem e se divertirem.


Os temperos estão sempre disponíveis nas mesas.


E o folder que fica debaixo dos pratos sempre traz informações sobre algum evento.


Pedimos uns chopps pra abrir os trabalhos e melhorar ainda mais a noite.


Nosso cupom nos dava direito a somente um filé à parmegiana, sem acompanhamentos. Mas dele falarei daqui a pouco.

Pedimos o couvert, simples, mas gostoso. Pão integral, pão d’água, manteiga e patê.


Os pãezinhos são tamanho mini e bem quentinhos.


E já adiantamos o pedido para evitar que demorasse muito depois: para acompanhar o filé pedimos uma salada de maionese com palmito e um arroz a cubana. Mas esquecemos de avisar para virem juntos os pratos, e mal havíamos começado com o couvert, e a salada chegou.

Sabe o que achei estranho? Eis a salada de maionese com palmito, ela vem maionese “e” palmito, separados. Achei que era misturadinho.


Daí que o Maza já aproveitou e experimentou a salada junto com o pãozinho do couvert.


E chegou nosso arroz a cubana! Delicioso, uma mistura de arroz, ervilhas, manteiga e ovo.


E é claro, nosso filé à parmegiana. Bah, e que baita filé, devia ter 1 kg de carne ali, na boa.


O pãozinho foi dar uma passeada no molho, levado é claro, pela mão do Maza... hehe


Tudo uma delícia, esse filé deles é tão, mas tão macio e saboroso... hummm dá pra cortar com a colher. Aliás, temos presenciado isso cada vez com mais frequência nos restaurantes em que pedimos filé à parmegiana. Meu respeito aos locais que servem filés macios e que podem ser cortados com colher!


Falando no Maza, olha ele aí atacando! hehe... mas não se enganem, ele não foi muito na comida dessa vez (“sim, pela foto vocês podem perceber que meu prato estava praticamente sem nada, ao menos para mim...”), pois ele tinha comido 2 fatias de pizza gelada pouco antes de virmos pra cá... hehe enfim, não posso julgá-lo, pizza gelada é o que há!


Bem próximos de onde sentamos existe essa vitrine onde o cliente escolhe o corte de sua preferência e eles assam na hora. Que estilo!


Depois de satisfeitos, pedimos pra embalar o que sobrou de nosso pedido (e sobrou bastante porque o filé era realmente grande e bem servido, e porque o Maza atacou a pizza antes... hehe) e fomos prontamente atendidos.


Ao final ainda pedi um café, que para minha felicidade o garçom perguntou se eu queria passado ou expresso. Vamos combinar, café expresso é prático, mas o café passado tem seu valor. Pelo menos pra mim.

Pedi um café passado e ele veio no ponto, quente, saboroso, uma delícia.


Foi novamente uma experiência super agradável jantar no Santo Antônio, sempre que posso recomendo o local. Contando as bebidas e incluindo o valor do cupom de compra coletiva nossa conta ficou em torno de 80 reais (sem o cupom ficaria na faixa dos 100 reais).

Agora que já comemos (e muito), vamos ao filme! Dessa vez resolvi falar sobre O Escritor Fantasma, excelente filme de Roman Polanski. O filme é baseado na obra O Fantasma, de Robert Harris, que por sinal é um livro tão maravilhoso quanto o filme. Li recentemente e recomendo sem restrições. No longa, temos o personagem de Ewan McGregor, conhecido apenas por seu título, o “fantasma” - ou ghost writer – que é contratado às pressas para ser o autor da autobiografia do ex-primeiro-ministro britânico Adan Lang (Pierce Brosman), logo após o fantasma antecessor ser encontrado morto, boiando na praia em circunstâncias um tanto quanto obscuras.


Polanski nos entrega um filme intenso, repleto caminhos que somente ao final irão se juntar para nos apresentar um desfecho fascinante, tão completamente inusitado quanto o início da trama. Um filme que sem dúvida alguma figura entre os melhores a que assisti em 2010.


Rua Doutor Timóteo, 465 – Moinhos de Vento – Porto Alegre/RS
Fone: (51) 3222 3130

Nenhum comentário:

Postar um comentário