Livraria Cultura

Pré Venda Harry Potter

24/08/2012

Fui na Nella Pietra comer pizza e aprovei!

Assim como os pastéis do El Cuervo, a Nella Pietra entra para o time de locais que são próximos de onde moro, que sempre passo do lado, mas nunca tinha experimentado. E não adianta, pizza é uma dessas coisas maravilhosas que a culinária criou. Seria necessário muita pizza ruim para enjoar delas e claro, não é o nosso caso. Depois da à la carte da Bella Morano e dos rodízios da Fragata e Pizza do Marquês, voltamos ao à la carte e não nos arrependemos.

O local é bem agradável, passamos por um longo corredor que deixa a nítida impressão que em algum momento era o estacionamento daquele local. Ao fim do corredor, já observamos algumas mesas, caso se queira comer ao ar livre (não foi dessa vez ainda). Pegamos um local mais ao fundo. Um ambiente agradável, com alguns quadros pequenos...


... e outros bem marcantes.


As garrafas de vinho também fazem parte da decoração.


O salão onde ficamos.


E o bar.


Na mesa, um detalhe que gostei muito: uma garrafa com rosa ao lado de outra garrafa com azeite de oliva (que custei a sacar que era o azeite, achei que fazia parte da decoração... pode rir Luciana, pode rir...).


O cardápio tem dezenas de alternativas, sendo as pizzas divididas em pequena, média e grande, embora a gente sempre (SEMPRE) ignore a primeira e segunda alternativas porque né...

Optamos assim por metade coração e a outra metade dividida entre filé ao alho e óleo e camarão.

Enquanto isso, fomos observando o cardápio e que grata surpresa, opções diferentes de entrada. Optamos pela focaccia, uma massa fininha uruguaia, do tamanho de uma pizza média, creio eu. Um espetáculo, uma entrada que caiu muito bem.


Percebam a crocância dessa massa...


Hummm... delícia!


Para acompanhar, um tempero de berinjela composto pela própria dita cuja, manjericão, azeite de oliva e azeitona.


A entrada durou 17,85 segundos, cronometrados.


Enquanto a pizza não chegava, fomos de Tônica e Pepsi... em garrafa tudo ganha sabor, muito mais sabor. Melhor ainda é aquela garrafa com cara de velha, logo antigo, para beber toda e ser premiado com alguma ferrugem do fundo da garrafa, delícia pura!

A Lu foi na tônica... argh! rsrsrsr


E eu... bom.


E chegou a bonita!


Ps: não deu tempo de tirar foto dela inteira, o pessoal é eficiente!


O filé ao alho e óleo não era pesado, forte, mas o aroma estava lá, muito presente. A carne confirmada, no mínimo.


O camarão até era pequeno mesmo, mas não podemos dizer que era um que outro, eram bem servidos. E o molho combinou bem com esses bichos do fundo do mar.


Olha ae o bicho no close!


Mas a melhor da noite foi sem dúvida a de coração. Que cheiro! Os corações também muito bons, talvez a melhor pizza de coração da cidade. A Luciana concordou plenamente e queria saber a respeito, pois estava pra lá de saborosa!


Ok, mostro de novo, por outro ângulo!


Mesmo que não tenhamos pedido borda recheada, olha o tipo, o naipe da borda, mesmo sem recheio.


Mas tudo bem, vamos deixar alguma coisa para o dia seguinte, pizza fria é o que há, e se for no café da manhã, melhor ainda (ah tá, vai dizer que nunca comeu pizza no café da manhã, no lugar de algo supostamente nutritivo, tipo mamão papaia ou maçãs colhidas no quintal? Por favor, reavalie os seus conceitos do que é aproveitar a vida...). Pedimos para embalar e nisso aparece a atenciosa e paciente atendente Ana Paula, embalando as sobras na nossa frente, para não deixar dúvida nenhuma de estar faltando um ou outro coraçãozinho, camarão e outros... aprovado o estilo dos caras. Nisso perguntamos sobre a pizza de coração e ela ainda comentou que o coração é preparado de forma separada, primeiro é colocado na panela e depois de fritinho é que se une à pizza e ao molho...seria esse o segredo dos caras? Não sei, mas é uma ideia legal essa do local.


A embalagem fechada...


... e aberta!


Para fechar, o tradicional café... fala Luciana:

“O café estava quentinho na medida, boa espuminha e levemente amarguinho ao final. Totalmente aprovado!”


Aquela velha jogada do pré-conceito (ou preconceito, entendam como preferirem), de olhar para o filme e pensar: cara, deve ser uma porcaria. Sim, já fiz disso em diversos momentos (a maioria no passado é bem verdade, e para minha salvação). Uma das últimas vezes foi quando observei desconfiado para uma obra que ah, um cara com seus 40 anos e que nunca transou, que asneira deve ser esse filme... BANG, NA CARA MAZA, TOMA NOZÓIO! O Virgem de 40 Anos é bem engraçado, muito em alguns momentos! O filme por Judd Apatow tem obviamente suas piadas de cunho sexual (como não poderia deixar de ser), mas não jogadas na tela apenas para tentar arrancar escassas piadas por pessoas que adoram humor de mau gosto.


Ainda é curioso observar as menções a outros filmes (Identidade Bourne, alguém?) e claro, o elenco que está muito bem em cena. Mas por mais que tenha gostado de Catherine Keener, Seth Rogan e outros, Steve Carell domina o filme, uma das melhores atuações de sua carreira. Se precisasse destacar apenas uma cena, ficaria é claro com a da depilação... não consigo olhar e ficar sem rir! Uma ótima comédia da década passada e que de tempos em tempos acabo revendo.



Rua Dr. Timóteo, 150 – Floresta – Porto Alegre/RS
Fone: (51) 3395 3000

Um comentário:

  1. Também adoro pizza fria no café da manhã. Chamou-me a atenção também a borda, realmente espessa, mesmo não sendo recheada. E o filme citado é muito engraçado...hehe... abs

    ResponderExcluir