Livraria Cultura

Pré Venda Harry Potter

20/11/2012

Chrusko’s: Pastel antigo e pastel do bom!


Todos nós temos aqueles locais que conhecemos há décadas, que por mais que não tenhamos o costume de ir sempre, de vez em quando aparecemos. Eu costumava ir mais seguido a uma lancheria no centro de Porto Alegre para comer aquele pastel grande, saboroso e bem recheado. Conheço o local desde 1991, mas a casa completa agora em novembro 29 anos. De uns tempos para cá, em função de trabalho e outros, fui espaçando minhas idas, mas num sábado desses me rendi e fui ao centro saborear o pastel do Chrusko’s, sem chance de se arrepender!


Aqui, um aviso importante: se você está tenso com o excesso de gordura trans, se está preocupadíssimo com o tipo de banha em que é feito esse tipo de alimento, que ai meu deus meu colesterol vai explodir meus triglicerídeos vão a mil só na primeira mordida não posso nem ver fritura que passo mal, se você entrou aqui preocupado com essas coisas, com Projeto Verão 2013... numa boa, aqui não é sua matéria adequada. Aqui você escolhe se fica do lado de fora do Chrusko’s ou entra. Tens alguns segundos para pensar:


Pensou, tomou sua decisão? Se você entrou, agora sim... seja bem-vindo e acompanhe a matéria!

O local é bem simples: umas mesas – que estão sempre lotadas – e o balcão, onde tem aqueles banquinhos giratórios que podemos sentar e saborear a refeição ali mesmo. No dia que fui, cheguei perto das 9h da manhã e estava cheio, fiquei bem instalada no balcão ao fundo.


Um painel mostra um pouco do que o local oferece, tudo bem direto.


Ali ao fundo a cafeteira tri antiga, de um lado café passadinho, do outro leite.


E mais ali ao canto a fritadeira, de onde saem os deliciosos pastéis!


Para acompanhar tu podes escolher ao invés do café ou do refri, um suco de frutas feito na hora, é só escolher na vitrine a fruta preferida.


Mas eu sempre vou de café com leite quando vou lá, então desce aquela taça clarinha, por favor! E atentem para o detalhe do açucareiro, daqueles que quase nem se utilizam mais, gosto disso, apesar de não usar açúcar... hehe


Vamos espiar o cardápio enquanto o pastel frita? Porque sabe como é, peço o “de sempre”.


E chegou meu pastel de presunto e queijo! Pelos talheres ali embaixo dá pra perceber o tamanho do bicho! hehe


Olha que delícia de recheio... e azar, eu gosto mesmo de pastel, mesmo sabendo que por mais que se escorra, sempre fica uma gordurinha, afinal, é fritura, certo?


Mais um café com leite para fechar todas, mas dessa vez, meia taça.


Pedi um para levar e saí bem faceira acertando a conta de 11 reais (incluindo o pastel pra levar). É um local que recomendo de verdade, já experimentei torradas e prensados ali além dos pastéis e também são muito bons. Xis eu nunca pedi, mas quem sabe um dia? Vamos lá, deixa de frescura e te atira num pastel desses (ou como diria o Maza, te atira em dois desses...)! hehe

Mais tarde, já encontrei o Maza (esperto, ficou só esperando o pastel, sabia que eu ia lá e me pediu pra comprar pra ele... hehe), vamos saborear o pastel de frango e catupiry?


Bem recheado, na medida da fome!


Vou falar aqui de um filme que gosto muito. Inteligente, divertido, por vezes triste. Com um ritmo que prende o espectador a cada cena, e ainda de quebra nos transporta por vários locais da nossa querida Porto Alegre. Assim é O Homem que Copiava, longa de Jorge Furtado protagonizado magistralmente por Lázaro Ramos.


O personagem de Lázaro é André, um operador de fotocopiadora que mal tem dinheiro para se manter. O simples fato de tomar um cafezinho no bar faria com que tivesse que voltar a pé para casa depois do trabalho. André é apaixonado por sua vizinha Silvia (em nobre atuação de Leandra Leal), a quem observa com seus binóculos todas as noites. Silvia é vendedora em uma loja de roupas e ele, para se aproximar da garota, precisa arrumar certa quantia para comprar um suposto presente para sua mãe.


Certo dia André vê em seu instrumento de trabalho a “luz no fim do túnel” para os seus problemas financeiros, ao passo que ele decide fazer cópias de uma nota de 50 reais na fotocopiadora que opera todos os dias, daí estamos a um passo de grandes encrencas. Acredito que um dos grandes trunfos do projeto seja a narração por parte do protagonista, pois apesar de acompanharmos os pensamentos e ações de André, o filme nunca perde o ritmo.

Outro ponto que merece ser citado é a química entre os personagens de Pedro Cardoso e Lázaro Ramos, fazendo com que as cenas tenham ainda mais importância do que já têm, e em alguns casos até mais engraçadas. Mas demos créditos também para Leandra Leal e Luana Piovani, ambas ótimas em cena.


Com um desfecho digno do conjunto da obra, O Homem que Copiava poderia facilmente entrar em uma lista de tops de filmes brasileiros, visto que tem um excelente roteiro, ótimas atuações e uma direção exemplar por parte de Jorge Furtado. Sem dúvida alguma é um filme que merece ser visto e revisto.


Rua Marechal Floriano Peixoto, 27 – Centro – Porto Alegre/RS
Fone: (51) 3212 0796

2 comentários:

  1. O pastel do Chrusko’s é muiiiittooooo bom mesmo... mas vocês tem que experimentar o pastel da Qpastel na rodoviária, é muito bom. Eu sou chato para comer, e digo, o pastel de carne da Qpastel é muito bom, só não ganha do pastel da minha Vó...

    ResponderExcluir
  2. Lima,

    Fica anotado pra quem sabe ir provar.
    Bom, tu quis dizer o pastel da NOSSA vó, né? hehe ninguém ganha do pastel dela!

    ResponderExcluir