Livraria Cultura

Pré Venda Harry Potter

30/01/2013

Antonio.Maria


Em mais um dia de férias, fiquei de conhecer o Antonio.Maria, restaurante de cozinha Portuguesa (que dúvida) que tem em Porto Alegre.

Mas até chegar lá, tem muita história para contar. Primeiro que no cupom de desconto diziam que a casa abria 18h30min. Fizemos nossa reserva para 19 horas, mas questionamos que se chegássemos antes, nas 18h30min que era informado que o local abria, se teria algum problema. Sem problemas nos foi informado. Ok. Para chegar ao local pesquisamos no Google Maps e não aparecia um local definido. Sei que lá pelas tantas era muro gradeado com vegetação de um lado...


E do outro lado uma escadinha escondida e um corredor de pedras, que ao final chegaríamos ao local. De dia tudo bem, de noite fica mais perigoso.


Chegamos ao local 18h30, 18h32 e nada do local aberto. O indicativo deixa claro: fechado.


Depois de no mínimo 15 minutos e nada do local abrir, ligamos. Após muitos questionamentos se tínhamos reserva, quem tinha dito que o local abriria 18h30 min, pois só abre 19 horas, que seria feito uma exceção, após tudo isso o local foi aberto. Lá dentro, tudo muito bonito. Espaço amplo e mesas com boa separação...


Algumas até mais elegantes, tipo mesa redonda para encontros, reuniões e similares.


Mas o que gostei mais foi da janela que dá para a rua, para a vegetação... se o dia está nublado e ameaçando chuva, melhor ainda.


Bacana ainda notar os brasões que ficam em algumas paredes...



Detalhes para as taças, guardadas em bem-cuidado armário.


E fechando os detalhes, o prato com o ‘logo’ do local.


Até observamos o cardápio da casa, com várias opções de pratos principais...


Mas ficamos mesmo com nosso cupom, que consistia em um entrada que eram 4 bolinhos de bacalhau... muito, muito bons! Sequinhos, recheados, na medida... umas azeitoninhas pretas para dar um toque a mais.


Recheio? É ae que me refiro!


Satisfeitos, já solicitamos o prato principal. Enquanto isso, a chuva começou a pegar e o local ainda estava vazio, já fui tirar uma foto linda, desse dia igualmente lindo (lindo=chuvoso, caso vocês não entendam que chuva para mim é alegria, felicidade e bem estar de espírito).


Todavia, como nem tudo é maravilhoso nesse mundo, faltou luz no local. Sim, ficamos sem luz. E não tinha vela para oferecer aos clientes. Mais do que isso, o forno era elétrico e assim sendo, sem prato principal enquanto não voltar a luz. Esperamos...


Esperamos mais um pouco...


Até que a escuridão tomou conta do local. Mais de 1 hora havia se passado, sem previsão de retorno da luz e assim sendo, tivemos que reagendar nossa ida ao local, para fazer o restante da refeição em outra oportunidade. Sim, você já viu essa jogada nos filmes, aquela coisa de: ah, mas poderiam ter feito um filme só e dividiram ele... pois é, isso não é algo exclusivo de Harry Potter, Amanhecer, Kill Bill e outros... aqui a matéria também precisou ser continuada em outro dia!


No dia da falta de luz, antes de sairmos, já fizemos a reserva para retornar ao local na semana seguinte. De novo falamos do horário e falaram que iriam abrir nesse dia a partir das 18h45, que não é costume deles esse horário, mas abririam, pois é o horário que chegamos a um acordo, até em função de todo o problema da falta de luz. Mas eu, como sou eterno desconfiado e tudo mais, no dia de irmos resolvi ligar uns 10 minutos antes para confirmar. Nisso quem atendeu já não sabia de nada, falou que só abririam 19 horas, que iria fazer minha reserva, e eu argumentando que já tinha a reserva. A Luciana resolveu pegar a bronca e conversar, e o cara do outro lado da linha, não querendo admitir sua trapalhada, disse que iria ‘nos fazer um favor’ e nos encaixar no dia de nossa reserva, pois a casa estava lotada e cheia de reservas para aquele dia. Claro que não aceitamos isso e tudo mais, e no fim, chegamos ao local em torno de 18h50 (demos uns 5 minutos para eles, de lambuja) e a casa já estava aberta... ufa.

Dessa vez também estava chovendo, também teve bolinhos de bacalhau, ótimos. Dessa vez, enquanto não chegava o prato principal, fomos de Las Moras, Cabernet Sauvignon 2011.


Um tom bem avermelhado, mas longe dos tons próximos do rubi, característicos da minha uva preferida, Pinot Noir. Sobre esse vinho, plenamente aprovado. Indicação da Luciana, que já havia provado ele no curso de degustação de vinhos que fez no Copacabana (não leu ainda a matéria? Leia aqui).


E chegou o prato principal, o bacalhau com natas – bacalhau gratinado com queijo parmesão, batata, cebola, azeite de oliva e molho bechamel.


Um close de vez em quando não faz mal...


E para finalizar, a sobremesa era composta por doce feito de leite e açúcar, flambado na hora... curtam ae o nosso vídeo.



No fim, o doce fica assim, após a flambagem...



Satisfeitos, a conta toda ficou em pouco menos de 131 reais (sem o cupom ficaria na casa dos 200 reais. Nesse cálculo está incluído o vinho, duas águas minerais e dois refrigerantes, estes últimos da primeira ida ao local, antes da falta de luz, pois não tinham troco para 10 reais naquele dia). O ‘verecdito’ final é bem claro: o Antonio.Maria é um belo restaurante Português para se conhecer, e se for com cupom de desconto, vale a pena sim. Só tenha muita, mas muita, mas muita paciência com quem for lhe atender para fazer a reserva, pois isso sim, é bagunçado, no mínimo isso.

P.S.: ‘vamos fazer um favor, pois a casa está lotada de reservas para hoje e estará lotada’... saímos de lá em torno de 21h15 e tinha apenas um casal que também já estava prestes a pagar a conta, e mais um outro, que chegou pouco antes de irmos embora. Para um local que cabe com tranquilidade mais de 50 pessoas e com o devido respeito a quem nos atendeu, das duas uma: ou praticamente todos cancelaram reservas de cupom e similares (acreditam nisso?), ou o atendente estava querendo nos enrolar... uma pena, o local é ótimo, o atendimento dos garçons idem e seria ainda melhor se o atendimento por telefone não fosse tão confuso e perdido como passam a impressão aos seus clientes.

Bom, a Luciana me pediu pra falar do filme e eu gentilmente concedi a honra, pois ela sabe o que falar quando se trata de Harry Potter, inclusive assistiu à conclusão da saga em IMAX em 2011, pois estava em Buenos Aires na semana de estreia. Com a palavra a bruxa amiga Lu!

Vou falar mais precisamente sobre os últimos dois capítulos da saga, a derradeira conclusão de uma história que se estendeu por 7 livros, 8 filmes, e muitos anos na vida de seus atores, tanto que quando começaram eram meros pirralhos, e ao final de tudo, plenos adultos.

Harry Potter e As Relíquias da Morte - partes 1 e 2 encerra a saga com maestria, pois além de alinhavar os acontecimentos que ficaram pendentes durante os seis primeiros filmes, ainda revela importantes informações a respeito de alguns personagens, como por exemplo a real posição de Snape. Após os eventos do final de O Enigma do Príncipe, Harry se sente perdido e sozinho em meio ao tumulto que se tornou sua vida. Dumbledore lhe deixou uma árdua missão: encontrar as horcruxes faltantes a fim de destruí-las e finalmente poder derrotar Voldemort, o problema é que ele não faz a mínima ideia de onde possam estar escondidos tais objetos.



Após fugirem do ataque dos comensais da morte ao casamento de Gui e Fleur, Harry, Rony e Hermione começam sua jornada, onde passarão por muitos problemas, colocarão a prova sua amizade e terão suas vidas ameaçadas. Conforme a busca vai se intensificando e eles destruindo as horcruxes, mais perto de Voldemort eles estão, e o bruxo das trevas não deixará barato esse ataque.



A trilha sonora de ambas as partes acompanha perfeitamente a narrativa, tornando-se em determinados momentos extremamente tensa. Quanto ao roteiro, foi muito bem escrito e adaptado, pois como sabemos, não existe como transpor em sua íntegra uma obra literária para o cinema. Mesmo com a divisão do conteúdo em dois filmes, algumas coisas se perderam, mas outras ganharam destaque e foram incrivelmente bem trabalhadas.

Destaque para a direção de arte que conseguiu dar vida a locais como Godric's Hollow, por exemplo, e principalmente construir um cenário esplêndido como o subterrâneo de Gringotes, de onde durante a fuga do trio, vislumbramos a saída de um gigantesco dragão.



Culminando em seu terceiro ato da segunda parte com a Batalha de Hogwarts, a saga se encaminha ao seu fim, onde acompanhamos grandes bruxos tombando em luta, mas assistimos também ao embate final entre Harry e seu grande inimigo.



Por fim, Harry Potter e as Relíquias da Morte – partes 1 e 2 são excelentes filmes, muito bem dirigidos e roteirizados, que deixarão saudades não somente em seus fãs, mas certamente também em seus atores, que acompanharam ano após ano a evolução dos personagens e da história em si.


Antonio. Maria
Rua Joaquim Caetano da Silva, 55 – Antiga Sociedade Suíça – Moinhos de Vento – Porto Alegre/RS
Fone: (51) 3222 2069
Horário de funcionamento: 3ª a 6ª das 11h30 às 14h30 e das 19h às 23h
Mapa

Nenhum comentário:

Postar um comentário