Livraria Cultura

Pré Venda Harry Potter

11/01/2013

Polska Restauracja


Mesmo que tenhamos aqueles locais que seguidamente estamos indo, temos esse costume de tentar sempre que possível conhecer novos lugares, pois a ideia é sempre trazer algo interessante para nossos leitores. E não só novos lugares, como também novas culinárias. E eis que depois de tantas outras, chega a vez da cozinha polonesa com o Polska Restauracja.

O local abre 19h e logo depois já estávamos chegando por ali, tinha ainda inclusive um carro na garagem, que fez com que passássemos ali naquele cantinho entre o suporte do toldo e o carro. E vocês sabem que esses cinéfilos aqui não são magrinhos... hehe tarefa árdua!

Na entrada temos essas confortáveis cadeiras, onde o cliente pode aguardar por sua mesa, ou pelo táxi ao final. E ao lado a escada que dá acesso ao salão, algo que acho diferente e interessante, estilo o Sharin, em que o salão fica no andar superior somente.


Chegamos e o salão ainda estava vazio, e continuou assim por um bom tempo. Acho que com o horário de verão o pessoal sai pra jantar mais tarde, melhor pra nós que pegamos restaurantes vazios. É o que há!


E vamos lá, mais fotos!

Essas bonecas chamaram minha atenção pra valer.


E essas também!


Uns enfeites bem interessantes esses “ovos”!


Esses também, porém eles eram um pouco menores.


Ali em cima as placas dos prêmios do Guia Quatro Rodas.


Ok, já vamos comer... hehe mas preciso antes mostrar esse espelho maravilhoso que havia quase ao lado da nossa mesa.


E vamos ao cardápio, onde conta um pouco da história do local e seus donos.


Fizemos nossos pedidos e ficamos espiando um pouco mais o cardápio. Eles têm um serviço chamado Mesa Polonesa, onde vários itens estão inclusos no “rodízio”. Bem interessante, ficou de dica para a próxima visita.


Quando terminaram de montar a mesa das sopas fui lá espiar, vontade não me faltou de me atirar a elas, mas os pratos que pedimos eram de respeito também... hehe


Pedimos uma entrada e um prato principal, que chegaram juntos, mesmo que tenhamos solicitado que viessem em tempos diferentes.

A entrada, Knedle – bolinha de batata recheada com ameixa preta. Acreditem, estava muito saboroso. A massa era uniforme, não grudava, salgadinha na medida em contraste com o adocicado da ameixa, e era macia até não poder mais.


E recheada na proporção exata!


O prato principal era Kotlet z Drobiu – discos de frango a milanesa acompanhados de batatas cozidas e molho de mostarda. Uma visão dos deuses. E esse enfeite com as pimentinhas dá um toque especial. Ah, essa travessa estava com as 2 porções juntas.


Bastante molho de mostarda!


Agora o seguinte, pensamos assim: experimentamos uma sobremesa ou partimos para um segundo prato? Algo que é super indicado pela casa... bom, acabamos é claro partindo para um segundo prato e deixamos a sobremesa repousar em outras bandas esse dia.

Pedimos a Placek pó Cygansku – uma panqueca de batatas recheada com goulash. Gente, vocês não têm noção da delícia que era e do quão recheada vinha a panqueca. Dá uma espiada na foto!


E se vocês pensaram que deixaríamos sobrar algo, estão redondamente enganados... hehe prato vazio! Mas é aquilo, sobremesa? Fica pra próxima!


Saímos dali super satisfeitos e desembolsamos um total em torno de 70 reais, incluindo o cupom de compra coletiva (sem cupom ficaria na faixa dos 85 reais). O Polska é um local que com certeza pretendemos voltar, pois ficamos (principalmente eu) na vontade de experimentar a Mesa Polonesa.

E dessa vez resolvemos mostrar pra vocês quem nos leva pra casa depois de jantaremos fartos como esse... rsrsrs com vocês... !


Agora deixo o Maza falar sobre o filme!

Alguns filmes não precisam de maiores informações, quanto menos, melhor. Esses mesmos filmes acabam se mostrando uma experiência no mínimo diferenciada, pois nada é deixado explícito na tela, as interpretações poderão ser as mais variadas. Um desses casos é o filme A Dupla Vida de Véronique, do polonês Krzysztof Kieslowski.


No filme observamos as histórias paralelas de Véronique e Weronika. Uma nascida na Polônia, outra na França, ambas no final da década de 60. Não se conhecem, mas de uma forma ou de outra possuem ligações, sejam pelas características do dia a dia (ambas cantam em corais), pela semelhança física e outros. Mas afinal, a decisão de uma estaria de alguma forma conectada à decisão da outra, sem mesmo se conhecerem?

Kieslowski não foi um diretor do tipo ‘deixar tudo mastigado para o público’ e isso era maravilhoso e constante em boa parte de seus filmes. Cada um poderia ter sua análise de determinada obra. Em A Dupla Vida de Véronique, podemos reparar a utilização de uma lenda germânica, a do doppelgänger. Nela, existe a história de que todos os seres humanos possuem um ser idêntico a si em algum lugar do planeta, e que de alguma forma o que um sofrer o outro pode não passar pela mesma situação, pois o duplo pode optar por seguir outro caminho, e nesse caso ‘driblar’ os acontecimentos.


Ser ou não ser, realidade ou ilusão, livre arbítrio ou apenas marionetes de um destino já traçado, A Dupla Vida de Véronique traz esse sentimento, essa necessidade de cada um analisar a obra à sua maneira, uns através dos simbolismos, outros através da história de vida de Véronique e Weronika (ambas interpretadas pela talentosa e belíssima Irène Jacob), e ainda haverá aquele público que não entenderá nada do filme. Não importa. A única certeza é que ninguém fica indiferente aos filmes do polonês Krzysztof Kieslowski e com A Dupla Vida de Véronique é um dos mais exemplares casos de sua obra, de sutilezas, de enigmas do ser humano e de seus mistérios.



Rua João Guimarães, 377 – Santa Cecília – Porto Alegre/RS
Fone: (51) 3333 2589
Horário de funcionamento: 3ª a sábado das 19h às 24h e domingos das 12h às 15h

Nenhum comentário:

Postar um comentário