Livraria Cultura

Pré Venda Harry Potter

07/01/2013

Rosário Resto Lounge


Adoramos sair para jantar, mas também curtimos um happy hour de vez em quando, ainda mais quando, seja com amigos, ou somente dessa dupla aqui já conhecida de vocês. Dia desses (eu ainda de férias), fomos conhecer um local que muito ouvíamos falar bem, mas que ainda não tínhamos ido conferir: o Rosário Resto Lounge.

Chegamos aos arredores em torno de 17h55, e pontualmente às 18h o local abriu suas portas, coisa que apreciamos muito: locais que cumprem com os horários informados ao cliente, pois existem alguns, como nós, que gostamos de, sempre que possível, chegar cedo.


Existe esse ambiente mais à frente, na parte fechada da calçada, mas nossa mesa – que reservamos previamente – era dentro do salão, o que nos agradou bastante. Ficamos perto do caixa na entrada.


E ao lado do bar, onde podíamos ver os drinks sendo preparados.


Ali atrás muitas bebidas interessantes, um close em algumas garrafas.


O salão se estende mais ao fundo...


Onde tem um local que deve ser destinado às pessoas dançarem e curtirem o som.


Alguns sofazinhos...


Ao lado de nossa mesa havia a escada para o segundo piso, que infelizmente não pudemos conhecer, pois segundo a garçonete que estava nos atendendo, o local estava fechado e não estava montado. Arrisquei essa foto dos espelhos do teto, onde mostra um pouco da grade de proteção do andar de cima.


Mas vamos começar a escolher nossos drinks, pois o cardápio oferece muitas opções. Muitas mesmo.


O Maza escolheu um clássico Dry Martini, que segundo ele, estava muito bom. Ah, e servido na taça adequada, é claro.


Eu fui de Eva Perón, espumante Brut com morangos, calda de maraschino e licor de morango. Estava delicioso e o melhor: bem gelado!


Mas não vamos ficar só nas bebidas, nosso cupom nos dava direito a um petisco na escolha entre duas opções, e ficamos com o sanduíche aberto (a tábua de frios fica para uma próxima ida ao local), não teve erro, delicioso! E muito bem servido.


Olhando mais de perto dá para perceber as camadas, bem ‘recheado’.


E achei bem interessantes esses palitinhos trabalhados que prendiam os sanduíches. Pequenos detalhes que fazem a diferença.


Mas seguinte, precisamos conhecer os banheiros, pois tínhamos a informação que eram diferentes. O corredor já nos indica: é no mínimo interessante.


Na verdade só o masculino tem o “algo a mais”, conforme o Maza clicou nessa foto abaixo. Segundo ele, o espaço é adequado, tendo 2 banheiros fechados e 4 espaços que são ao mesmo tempo pias para lavar as mãos e mictórios. Onde acima podemos perceber a originalidade de colocar imagens de 4 mulheres com as reações mais diversas!


Em alguns dias da semana o local oferece dose dupla de bebidas, conforme o cartaz abaixo.


Fomos embora muito satisfeitos com o local e com o que experimentamos (bebidas e petiscos), e nossa conta ficou na casa dos 70 reais (sem cupom ficaria em torno 94 reais). Certamente é um local que iremos revisitar, afinal, precisamos provar outros drinks e quem sabe outros petiscos também. E se o local abre cedo e no horário, em ponto... melhor ainda!

Agora o Maza irá comentar sobre um excelente filme que vimos recentemente.

Relacionamentos podem ser gelados como sorvetes na Antártida. Relacionamentos podem ser intensos como ondas de eletrochoque. Relacionamentos podem ser cheios de altos e baixos, tal como uma montanha-russa. Relacionamentos são, na maior parte dos casos, complexos. Assim sendo, é muito prazeroso observar um filme como Harry e Sally que, passados quase 25 anos, se mantém atualíssimo.

Nesse filme observamos pouco mais de 10 anos na vida dos personagens títulos. Harry é do tipo mais largadão, por assim dizer. Sally é mais metódica, certinha. Harry não acredita em amizade entre homem e mulher sem que acabe na cama. Sally é bem ao contrário. E nisso consiste parte do filme, observar suas idas e vindas com o passar do tempo.


O texto de Nora Ephron, como já citei, se mantém atual mesmo passados quase 25 anos. Outro ponto muito interessante do filme são as pequenas inserções no estilo ‘falso documentário’, com casais falando como se encontraram, há quanto tempo estão casados, etc. Gosto particularmente da utilização do Split Screen, que tanto mostra a ação dos personagens como também demonstra o quanto cada um deles é diferente (mérito nesse caso para o design de artes e cenários).


Billy Cristal é muito carismático em cena e sua química com Meg Ryan funciona de maneira exemplar. Quanto a Meg Ryan, que presença em cena, que fotogenia, que atuação... se não bastasse tudo isso, tem ainda a cena do falso orgasmo, eternamente impagável!

Harry e Sally – Feitos um para o Outro continua sendo uma ótima comédia de relacionamentos e que ainda hoje dá o que falar. Não sei como eram as coisas no tempo de Sigmund Freud, mas acredito que ele teria conflitos e dificuldades para entender casais que se conhecem, casam, separam, vivem suas vidas, se reencontram e se casam, exatamente, 10-15 anos depois do primeiro casamento... Freud explicaria?




Rua 24 de Outubro, 1539 – Auxiliadora – Porto Alegre/RS
Fone: (51) 3237 6765
Horário de funcionamento: 3ª a sábado das 18h às 2h

Nenhum comentário:

Postar um comentário